CNV

Click here to edit subtitle

Sal e Luz

Posted by BenneDen on March 13, 2018 at 9:50 AM Comments comments (0)

Seja Sal e Luz


“Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.16).



 Pense em uma escolha que você fez recentemente. O que lhe levou a tomar essa decisão?

 Pense em um modo novo de se vestir, cortar o cabelo ou até mesmo de falar. O que lhe levou a esse comportamento?


Pode haver inúmeras razões envolvidas, mas, a realidade é que, sem que percebamos, o comportamento de outras pessoas têm enorme influência sobre nossas preferências, nossas decisões e personalidades. Isso é influência social do mundo sobre nós e nos faz entender que há influências sutis e quase invisíveis por trás de nossas escolhas e por trás de nossos comportamentos.

Provavelmente, a maior de todas as tragédias da igreja ao longo de sua história tem sido a sua conformação à cultura do mundo, em lugar de desenvolver uma contracultura cristã”.



I – O PODER DA INFLUÊNCIA

Que influência devemos exercer num mundo tão cheio de maldade, corrupção e violência?

Para definir a natureza da influência que deve acontecer no mundo, Jesus usa duas figuras comuns do lar – sal e luz. Qual é o lar, por mais pobre que seja, que não usa tanto o sal como a luz? Sal e luz são itens indispensáveis em qualquer lar.


II – VOCÊS SÃO O SAL DA TERRA (Mt 5.13)

1. A função do sal (v.13)

a. Sal é tempero que – dá sabor à comida – A influência do crente no mundo deve ser como o sal para a comida – o crente deve dar um novo sabor ao ambiente do trabalho, da fábrica, da faculdade, etc. Será que a nossa presença tem essa influência positiva?


b. Sal é preservador – evita a putrefação

O crente deve ter uma influência antisséptica no mundo. A presença do crente deve evitar a propagação do mal, combatendo a podridão ao seu redor.

Os cristãos são colocados por Deus numa sociedade secular para retardar o processo de podridão.


2. A eficácia do sal (v.13) A eficácia do sal é a sua salinidade. Para continuar a ser útil, o sal não pode perder sua qualidade de salinidade.

A salinidade do crente vem de sua pureza, de sua santidade.


Se o crente é “o sal da terra”, tem de ser um exemplo de pureza.

Uma das características da sociedade em que vivemos é o rebaixamento dos padrões de pureza. Não há mais restrições na área moral.

O crente é “chamado a ser um purificador moral em um mundo decadente, onde os padrões morais são baixos ou inexistentes.

O problema, muitas vezes, é que o crente se deixa contaminar pelas impurezas do mundo, e, por isso, perde a sua qualidade de salinidade.

O Problema não é o crente no mundo, mas o mundo no crente.


a. É irrecuperável – “como lhe restaurar o sabor?” Não há remédio para o sal sem sua salinidade.

b. É inútil – “para nada mais presta.”

c. É condenado à destruição – “lançado fora, ser pisado pelos homens!”.


Se não estamos sendo úteis, então seremos jogados fora. Inutilidade sempre traz desastre. E não se esqueça! O crente é sal, e não açúcar!


III – VOCÊS SÃO A LUZ DO MUNDO (Mt 5.14-16)

Paulo nos lembra que “o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo” (2Co 4.4).

1. A função da luz (v.14-15)

Ilumina, clareia, torna possível ver.


a. A luz deve brilhar no MUNDO – é bom observar que o lugar onde devemos brilhar para Jesus é o mundo, onde as trevas dominam.

Jesus convoca Seus seguidores a ser aquilo que Ele mesmo é – “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8.12). A luz de Jesus, brilhando nos discípulos, aparece em cada rosto, nas palavras, nas ações, e ilumina o mundo ao redor.


O nosso testemunho público deve ser visto na maneira como tratamos o balconista na loja, a doméstica em casa, o porteiro no prédio, o empregado no serviço.

Jesus não disse – “Vós sois a luz da igreja”, mas “Vós sois a luz do mundo”.

b. A luz dissipa as trevas e traz a visão real – Paulo, ao escrever aos filipenses, enfatiza sua função: “Inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual resplandeceis como luzeiros no mundo” (Fp 2.15). O mundo não pode permanecer nas trevas, na ignorância, sem o Evangelho e sem Cristo. A luz revela os perigos que nos cercam neste mundo tenebroso e torna possível o entendimento da verdade.

 

2. O resultado da luz (v.16)

a. Outros podem ver as nossas boas obras –Essa expressão abrange tudo o que o crente faz e diz, demonstrando seu testemunho cristão diário.

b. Outros podem glorificar ao nosso Pai Celestial – Nossas boas obras não devem chamar a atenção para nós, mas para Deus. “Quando os homens veem tais obras, disse Jesus, glorificam a Deus, pois elas encarnam as boas novas do Seu amor que nós proclamamos” (Stott).


CONCLUSÃO

O crente precisa exercer sua influência neste mundo tenebroso, tentando evitar a deterioração moral da sociedade e a ignorância espiritual desta geração.

Assim aprendemos que fomos colocados na sociedade com este papel duplo:

sal, para interromper, ou pelo menos retardar o processo da corrupção moral do mundo;

luz, para desfazer as trevas e dar a visão espiritual da verdade.

Seja Sal, seja LUZ.



Servo de Quem?

Posted by BenneDen on January 30, 2018 at 9:00 PM Comments comments (0)


Introdução

A Bíblia não condena especificamente a prática da escravidão. A Bíblia dá indicações quanto aos deveres recíprocos de senhores e servos: Ef 6:5-9; Colossenses 3:22 4:1 ;Tito 2:9; Filemom 1:1-25; 1Pe 2:18.


Somos chocados quando lidamos com um tema perturbador, a escravidão nos tempos bíblicos. Como poderia a Bíblia tolerar a escravidão?

1. Não desejaria Deus, fundamentalmente, que toda a humanidade fosse livre?

2. Os Israelitas foram libertos da escravidão do Egito para se tornarem eles mesmos senhores de escravos?

A escravidão dos israelitas no Egito foi algo que deveria sensibilizá-los diante do sofrimento dos outros. Como poderia então um judeu ter um escravo?


1-A Escravidão – Modelos Distintos.

Seria bem mais confortável se Deus tivesse proibido totalmente a escravidão. Mas como não é esse o caso, nos sentimos no dever de examinar mais profundamente essa questão.


Creio que há pelos menos 2 grandes motivos que validam a permissão divina para a escravidão entre os hebreus:

1 – Mostrar que todos os homens são servos. Todos servem ao seu dono;

2 - Mostrar que há uma grande diferença entre servir ao pecado e servir a Deus.



É importante lembrar que o mundo daquela época praticava a escravidão nos moldes clássicos. Todos os reinos em volta de Israel tinham seus escravos. E nessas nações, os escravos eram tratados como mera mercadoria, com brutalidade e horror e crueldade.

O modelo de escravidão existente entre os hebreus era diferente das outras nações. Por meio de uma sofisticada rede de mandamentos, a Lei judaica estabelecia de fato um modelo de "escravidão diferente".


Quem era Escravo em Israel?

As únicas situações em que alguém poderia se tornar um escravo eram:

1. Por dívida – se alguém não conseguisse pagar, poderia vender seu trabalho, tornando-se escravo de outra pessoa até quitar a dívida;

2. Por pobreza – quem não conseguia se sustentar poderia vender-se como servo; o senhor tinha o dever de garantir o sustento do servo;

3. Por nascimento – o filho de um escravo era escravo;

4. Como prisioneiro de guerra – em vez de mortos, prisioneiros de guerra podiam ser escravizados (mas com direitos específicos).

 


Escravidão entre os Hebreus:


• Um escravo deveria ser libertado no sétimo ano de escravidão; só seria escravo a vida inteira quem escolhesse ser – Êxodo 21:2

• Quando fosse liberto, o escravo deveria receber de seu senhor sustento para lhe ajudar a começar a vida em liberdade – Deuteronômio 15:12-14

• Escravos tinham direito a folga no sábado e nas festas religiosas.

• Quem causasse danos físicos tinha de libertar seu escravo em compensação; se um senhor matasse seu escravo, seria punido – Êxodo 21:26-27

• Escravas não poderiam ser usadas como prostitutas e uma escrava que se tornasse esposa tinha direito de proteção a vida toda.

• Raptar alguém para vender como escravo era punido com morte; essa lei destruía o negócio do tráfico humano – Êxodo 21:16

• Um escravo poderia ser resgatado por um parente; em algumas situações o próprio escravo conseguia pagar seu resgate.

• Se um escravo fugisse, não deveria ser entregue ao seu senhor contra sua vontade nem receberia punição – Deuteronômio 23:15-16


2-O Direito à Vida (Sobrevivência)

Permitindo que os Israelitas adquirissem servos e escravos, Deus fazia com que esses homens e mulheres que não possuíam mais a sua própria vida, agora pudessem ter sustento e uma nova esperança, ao encontrar o Deus de Abraão e entrar em uma aliança com Ele.

Isso era parte da promessa que Deus havia feito com Abraão:

"em ti serão benditas todas as famílias da terra." Gênesis 12:3

Evitando as práticas brutais das nações vizinhas, os Israelitas deveriam diminuir o sofrimento humano "no mundo real".

E a aquisição desses homens e mulheres para dentro da sociedade Israelita, deveria ser um meio para melhorar a vida deles, principalmente por meio da conversão, do aprendizado da Lei de Deus e do entrar no pacto e na aliança com Deus.



3-O Homem – Escravo do Pecado ou Servo de Deus

O ato de desobediência, no Jardim do Éden, resultou na expulsão do homem do paraíso e na consequente escravidão do pecado. 2 Pe 2:19

A realidade é que todos os homens são servos de Alguém. Todos os homem têm um Senhor. O que diferencia o "status" dos servos é " a aquem eles estão servindo"? Ao Diabo ou a Deus? 

Ninguém pode servir a dois senhores. Mt 6:24

"Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. João 8:34

Prometendo-lhes liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção; porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo. 2 Pe 2:19

Mas Deus providenciou o Messias, Jesus, para nos libertar desta escravidão, e agora somos feitos servos de Deus.

E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o Príncipe dos reis da terra. Àquele que nos ama, e pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados. Ap 1:5

Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." João 8:36

Para a liberdade Cristo nos libertou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jogo de escravidão. Gl 5:1


Conclusão - Temos um Dono, temos um Senhor.

Pois aquele que, sendo escravo, foi chamado pelo Senhor, é liberto e pertence ao Senhor; e da mesma forma, aquele que era livre quando foi chamado, agora é escravo de Cristo. 1 Co 7:22

Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo. 1 Co 6:20

"Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" 1 Pedro 1:18-19

Nós fomos comprados. Você não pertence a si mesmo, você foi comprado por um preço, você foi comprado por Jesus.

O escravo não possui liberdade para fazer aquilo que deseja fazer. Ele está sujeito à vontade de seu senhor. O escravo é obrigado a ser submisso e obediente.

Nós só temos um Senhor. Nós somos totalmente dependentes deste Senhor para todas as nossas provisões.



Casamento e Divorcio

Posted by BenneDen on January 15, 2018 at 8:35 AM Comments comments (0)



O Pacto matrimonial é seríssimo. Trata-se de uma aliança de sangue, ou seja, de validade até a morte ( 1Co 7:39).

Os aliançados tornam-se “uma só carne”, uma unidade, o casal (Mt 19:6). Compartilham alegrias e sofrimentos, trabalhos e diversões, vitórias e derrotas, ganhos e perdas, problemas e soluções, juventude e velhice até a morte.


E quando o relacionamento torna-se infiel? E quando há traição? Um ferimento grave, mas não mortal. O profundo arrependimento e o perdão podem trazer a cura.


E as cicatrizes? São marcas que testemunham a cura.


E sobre o divórcio? Deus odeia o divórcio (Ml 2:16), mas, diante da infidelidade conjugal, permite ao cônjuge traído o direito a um novo casamento (Mt 5:32; 19:9). Essa permissão não é um troféu de conquista. Na ruptura da aliança matrimonial não há celebração religiosa, não há festa e nem convidados especiais. Como comemorar a falência de um pacto vitalício? O divórcio é, na ótica bíblica, uma tragédia e não solução. Trata-se de uma possibilidade restrita, permitida com tristeza, como exceção e, por isso, deve-se fazer sempre o máximo de empenho para reconciliar e restaurar o casamento.



Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem. Mt 19:6

Irmãos, falo como homem. Um pacto, embora de homem, uma vez confirmado, ninguém o anula, nem lhe acrescenta coisa alguma – Gl 3:15.


Pense Nisso!



Ungidos do SENHOR

Posted by BenneDen on January 8, 2018 at 7:25 AM Comments comments (0)



A Unção do Alto – Ex 30:22ss

Introdução

No Antigo Testamento, a unção (óleo, azeite) representava o Espírito de Deus. No Novo, permanece a simbologia, entretanto com bem menos intensidade. Por quê? Porque o Espírito hoje é mais presente e atuante na vida dos crentes, após sua descida triunfal e espetacular no dia de Pentecostes.

Em termos gerais a unção é a presença manifesta do Espírito Santo sobre uma pessoa com um propósito de consagrá-la para um propósito divino.

A unção de Deus faz diferença em nossa vida. Ela faz que sejamos diferentes, para que possamos fazer diferença no meio em que estamos inseridos.

Quem tem a unção de Deus tem poder sobrenatural que o capacita a enfrentar adversidades e desafios no cumprimento de sua missão.


1- SALMOS 133 - Aspectos Gerais da Unção

1 Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!

2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes;

3 como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.

1. O óleo desce primeiro na cabeça (mente, cérebro) = a primeira mudança é de mentalidade. Muitas pessoas se iludem achando que mudança exterior é comprovação de que a mudança interior já ocorreu. Isso nem sempre é verdade e, infelizmente, nos dias de hoje, percebemos que muitas mudanças são apenas superficiais.

Só Deus pode mudar a mente de alguém de forma completa e definitiva. A obra de Deus acontece em primeiro lugar na mente, pois é na mente que acontece a programação da vida.

2. Em seguida o óleo desce pela barba (boca, lábios) = a segunda mudança é no falar, nas palavras. Uma nova mentalidade vai conduzir, necessariamente, a um novo modo de falar e de se expressar. Como Jesus enfatizou: a boca fala do que o coração está cheio – Mt 12:34. Se houve mudança na mente, a boca logo, logo terá uma nova linguagem, palavras edificantes e abençoadoras!

Falando a crentes - A palavra de Cristo habite em vós ricamente, em toda a sabedoria; ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a Deus com gratidão em vossos corações. Cl 3:16

Falando a não crentes - A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um. Cl 4:6

3. Depois o óleo desce pela orla das vestes (indumentária, vestimenta, costumes) = o terceiro segmento da vida alcançado pela unção é o comportamento. É incrível, mas há uma tendência muito forte de nos comportarmos de acordo com o que vestimos. Você acredita que alguém que se veste deliberadamente de forma provocante está sendo usada pelo Espírito de Deus? Não, eu não acredito nisso. Eu acredito que o Espírito Santo, preenchendo a vida de alguém, vai direcioná-lo à santidade, não à vaidade ou à sensualidade.

“A roupa não faz o monge, mas sempre dirá quem ele é”. O nosso corpo é templo do Espírito Santo; antes de embelezar, a vestimenta, modesta e honrosa, convida à preservação do corpo e expressa a santidade que está no templo.


2- Fortaleza Interior

Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Ef 6:10


Primeiro vem o fortalecimento em Deus, depois o fortalecimento na força do poder divino.

O poder exterior exige uma grande fortaleza interior.

Pouco proveito há se formos revestidos sem estarmos investidos do poder do Espírito Santo.

A unção exterior se esvazia rapidamente quando não encontra no homem interior as condições apropriadas para permanecer.



3- Ungidos Para a Missão

O Espírito do Senhor está mim, pelo que me ungiu para evangelizar aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para por em liberdade os oprimidos e apregoar o ano aceitável do Senhor. (Is 61:1-2)

Observe a sequência de fatos na vida de Jesus e veja como existe um paralelo com a nossa jornada na fé:

• Jesus foi gerado pelo Espírito

• Posteriormente foi cheio do Espírito


Uma coisa é termos o Espírito Santo e outra é sermos revestidos por Ele.

Uma coisa é termos uma nova vida e outra bem diferente é termos poder espiritual para a gloriosa missão de expressar ao mundo as qualidades dessa Nova Vida em Cristo - At 1:8

A unção sinaliza a missão. A unção confere poder para fazer. Atos 1:8

A unção reveste o crente com o poder do Alto para que seja uma corajosa testemunha diante deste mundo tenebroso, anunciando que em Jesus Cristo há salvação, cura, libertação e maravilhas. - At 1:8

Os discípulos receberiam poder... no grego, dunamis, palavra de onde vem dinamite e dinâmico, ou seja, Deus os capacitou a serem dinâmicos, capazes, detonando as fortalezas do diabo!

Os discípulos seriam testemunhas. No grego, marturius, de onde vem nossa palavra mártir, aquele que morre pela fé cristã.


Conclusão:

Que a unção do Espírito Santo faça diferença em sua vida. Que o revestimento do Espírito faça com que você seja uma pessoa diferente e que possa fazer diferença no meio onde você está.

A Unção Quebra o Jugo – Por quê?

E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção. (Isaías 10:27)


Que o SENHOR lhe conceda poder sobrenatural para lhe capacitar a enfrentar adversidades e desafios, com o poder do Espírito de Deus e ser vitorioso em nome de Jesus.




A Prece que Funciona

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on December 18, 2017 at 6:40 AM Comments comments (1)

A Oração que Funciona

1 Rs 18:41-46

O tema desta mensagem veio de um livro escrito por um cristão que preferiu o anonimato, mas que descobriu um dos segredos do sucesso na vida - a oração que prevalece e que funciona.

Neste livro ele reuniu textos bíblicos, princípios e experiências com o propósito de intensificar a comunhão com o Senhor, dinamizar a vida devocional e satisfazer o coração daquele que anseia por uma vida de oração melhor.

Dois Grandes Problemas Citados Por Tiago

1. A Falta de oração

2. A oração que não funciona

Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis.

Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Tg 4:2-3

O primeiro grave problema é que a maioria não ora a Deus. Imagine quantos problemas seriam evitados ou solucionados com a oração;

O segundo grave problema é que oramos sem atender os requisitos bíblicos, aí a oração não funciona. Ex.: Isaías 59:1-2


  • Precisamos desenvolver um hábito de oração;
  • Precisamos orar atendendo os requisitos bíblicos para a oração.


A Oração Que Funciona

Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem desviou de mim a sua misericórdia. Sl 66:20

O resultado da oração está, em muitos aspectos, além da compreensão humana. Porém, sabemos por experiência própria e pelos milhares e milhares de testemunhos que a oração funciona.


Um Testemunho de Oração que Funciona

Ressurreição na de Cidade de Hospet (Karnataka) – Índia.

O testemunho de Shetty Naik. Sua mulher era crente, membro de uma igreja local. Ele ia de vez em quando ao culto na igreja, mas não queria ser um discípulo de Jesus Cristo.

Em 2006 ele contraiu o tifo, foi tratado nos cuidados intensivos do hospital local. Os médicos deram o seu melhor, mas Shetty morreu. Após a constatação de morte, os médicos pediram à viúva e aos parentes presentes para levar o cadáver para a cremação segundo o costume indiano.

Os parentes presentes tinham organizado todos os preparativos para queimar o cadáver. Na localidade de origem fora erigida a pilha de lenha

A viúva foi ter com o pastor local Eliah Naik. Pediu óleo da unção e voltou ao hospital. Ali derramou o óleo sobre o corpo de seu marido morto e orou por ele..

Ali no hospital, aquele homem morto teve um ligeiro arrepio e começou a respirar muito fracamente. Ficou três dias num coma profundo. A mulher e os parentes oraram muito por ele. Três dias depois ele abriu os olhos e se levantou sobre os seus pés. Estava completamente curado do tifo!

O homem que reviveu foi à igreja, converteu-se a Cristo e foi batizado.

Para os médicos e para todos os parentes não crentes, aconteceu um milagre. Como resultado da sua ressurreição todos os seus parentes se converteram e muitos habitantes da sua cidade.

Fonte: ACS - Ação para os Cristãos Sofredores – Revista - 2/2007


Saiba que a oração funciona porque Jesus Cristo diz que funciona.

Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei. Jo 14:14

Há muitas passagens bíblicas que trazem ensinamentos preciosos sobra a oração eficaz. Há vários princípios e recomendações importantes sobre a oração que prevalece. Mas, nesta breve mensagem desejamos enfatizar apenas três ensinamentos valorosos e fundamentais sobre a oração que funciona.

1- A oração funciona quando vivemos de acordo com a vontade de Deus.

Amados, se o nosso coração não nos condenar, temos confiança diante de Deus e recebemos dEle tudo o que pedirmos, porque obedecemos aos Seus mandamentos e fazemos o que Lhe agrada - 1Jo 3:21-22.

A súplica de um justo muito pode na sua atuação. Tg 5:16

2- A oração funciona quando oramos segundo a vontade de Deus

E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. 1 Jo 5:14

Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. Tg 4:15

3- A oração funciona quando oramos com fé persistente

Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que o recebereis, e tê-lo-eis. Mc 11:24

E tudo o que pedirdes na oração, crendo, recebereis. Mt 21:22

Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. Hb 11:6

O Pastor David Wilkerson escreveu que por muito tempo orava e a resposta vinha a seguir. Era uma comunhão maravilhosa com Deus.

Todavia, houve um tempo que as respostas minguaram. O pastor orava e nada acontecia, Deus se mantinha em silêncio.

Cansado daquela situação vergonhosa, David Wilkerson um dia desabafou com Deus: Pai, o Senhor não está sendo justo comigo. Antes, eu orava e vinha resposta. Agora, eu oro, jejuo, derramo lágrimas na oração, falo em línguas espirituais - e o Senhor fica em silêncio. Eu já estou passando vergonha diante da Igreja há um bom tempo...

E foi nesse dia, que a voz do Espírito Santo falou ao coração de David Wilkerson: Filho, qualquer um que orar e receber imediatamente a resposta de sua oração, não vai precisar de fé. A sua fé cresce, enquanto espera com paciência pela resposta de sua oração.

É preciso persistir em fé como fez Elias, orando por sete vezes pela mesma causa.

Criando um Hábito de oração em 2018

1. Em todo tempo – 1 Ts 5:17

2. Em todo lugar – 1 Tm 2:8

Há um chamado à oração, um hábito de oração, em todo tempo e em todo lugar.


Ore Por Você

Você é responsável pela bênção de Deus sobre a sua vida.

O dever de orar pelos seus problemas, família, emprego, saúde, ministério é principalmente seu. O que Deus quer ouvir de você, outra pessoa não poderá dizer.

Não há nada de errado em pedir que alguém ore por você. Isto é importante e ajuda em nossa mútua cooperação e amor fraternal. Mas, quem deve bater na porta é quem precisa de ajuda.

Ore Pelo Próximo

Interceda com misericórdia em favor daqueles que estão atribulados. Busque o favor divino pelos carentes e necessitados. Suplique pela salvação das pessoas ao seu redor.

Ore Para Aprofundar Sua Comunhão com Deus

Em todo tempo, em todo lugar.



Por que ouvimos somente o que queremos ouvir?

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on December 11, 2017 at 6:20 AM Comments comments (1)


Por que Ouvimos Somente o Que Queremos Ouvir?

O Senhor Jesus repetiu em todas as cartas às igrejas no Apocalipse “quem tem ouvidos ouça o que o Espírito Santo diz”.


1-Ouvir no Sentido Bíblico

Ouvir, no sentido bíblico, é mais do que escutar. É mais do que perceber e entender sons e palavras.

Dar ouvidos é dar atenção e valorizar o que se ouve ao ponto de obedecer. Coração e mente acolhem com profunda devoção as palavras ouvidas, dando-lhes o devido respeito, valor e aplicação.

Dar ouvidos é escutar com atenção e devoção, crer, valorizar e colocar em prática.

Palavras ouvidas formam conceitos, padrões, crenças; influenciam e formam nosso caráter e estilo de vida.

Suas escolhas, decisões, projetos e sonhos estão fundamentados sobre o que você deu ouvidos ao longo dos anos.


2-Por que Só ouvimos-valorizamos aquilo que queremos ouvir...

Na verdade escutamos muitas vozes e sons diversos através dos ouvidos, mas se não valorizamos a palavra anunciada e não estivermos dispostos, interessados e motivados, com o coração aberto para receber, estaremos apenas escutando barulho.

A ilusão seduz, fascina...

Pequenas porções de ilusão...Mentiras sinceras me interessam cantava cazuza...


3-Por que queremos ouvir somente fábulas/ilusões/fantasias?

Porque a fantasia é um (falso) suprimento de satisfação.

1. Um suprimento de satisfação ilusória/enganosa para os desejos que não podem ser realizados. Sempre fantasiamos o que não temos e não somos, e gostaríamos de ter e ser.

2. Um suprimento de satisfação substituta, que omite a realidade, numa tentativa de ajudar a resolver a angústia interior e os demais conflitos da vida real.

A maioria refuta ouvir a verdade que incomoda, e abraça a mentira sedutora que deseja.

Quando alguém fala o que não lhe interessa, os ouvidos captam apenas alguns sons fracos e fragmentados, enquanto seus corações estão fechados e totalmente desligados daquele ambiente. Este comportamento deixa claro que essa pessoa não tem espaço interno para guardar o que não lhe interessa.


4-A Ilusão Escraviza

Há um trecho de uma música que diz assim: “Confortável ilusão, parece a liberdade e na verdade é uma prisão.” Gabriel – O Pensador

A ilusão funciona como um analgésico/anestésico, uma válvula de escape para que a pessoa consiga superar a realidade que a incomoda.Portém, a ilusão escraviza, prende o indivíduo na mentira.

A ilusão faz a pessoa sentir-se livre da realidade. MAS, o que parece ser liberdade é na verdade, uma prisão onde o indivíduo precisa ouvir doses maiores e mais fortes de fábulas/ilusões para continuar vivenciando fantasias, perdendo a chance de viver o real, onde há uma missão a ser cumprida.

Ouvir somente o que nos agrada...


1. Cria uma falsa realidade, faz-nos correr atrás do vento e por fim nos traz completa desilusão e ruína;

2. Alimenta o ego, mas cala a consciência, enfraquece o espírito e fortalece a carne.

3. Afasta-nos de Deus, desvia-nos de seu chamado.

4. Faz-nos escravos da ilusão, da mentira e do engano.

5. Acelera os seus passos em direção à apostasia.


E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará – João 8:32

Por que não damos ouvidos às Escrituras Sagradas?

Porque não estamos interessados em ouvir a verdade e nos submeter à vontade de Deus.

Queremos seguir os caminhos do coração e não o Caminho de Deus.

Queremos sim, que Deus atenda os nossos pedidos e desejos e que Ele nos livre de todos os problemas.


5-O que Fazer?

Temos que decidir o que realmente importa. Se você deseja abandonar a insensata prática de ouvir somente o deseja ouvir e criar o hábito de "ouvir o que é necessário ouvir”, tenho algo muito importante a lhe dizer.

1. A palavra de Deus confronta, exorta, repreende, corrige... Isso pode ser doloroso, mas

2. A palavra de Deus também conforta, cura, alimenta, fortalece, encoraja, liberta, salva e lhe prepara para a eternidade.

Se você quer ouvir o que precisa ouvir, saiba que ...


6-Para ouvir bem é preciso calar.

Sem o silêncio não podemos ouvir bem, as palavras ficam imperceptíveis, confusas ou perdem o sentido.

Quando silenciamos a percepção torna-se mais aguçada e consequentemente aumenta nossa capacidade de compreensão dos fatos e ideias. O silêncio ajuda no entendimento.

Diante da Palavra de Deus é preciso silêncio integral: silenciar a voz, a mente e o coração.

1. Silenciar para se aquietar, sossegar;

2. Silenciar para exercer domínio próprio;

3. Silenciar para ouvir melhor e aprender;

4. Silenciar para dar atenção;

5. Silenciar para respeitar;

6. Silenciar para melhor observar;

7. Silenciar para refletir e meditar;

8. Silenciar para aguardar, gerar expectativas;

9. Silenciar para ouvir uma palavra específica;

10. Silenciar para...


(LC 2:19) “Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração”.

O Ouvir Atencioso do Crente

1. Quando ouvimos atentamente, prestamos atenção no significado da palavra de Deus e nas suas implicações em nossas vidas.

2. Quando ouvimos atentamente honramos aquele que fala, confessamos com o nosso silêncio atencioso o nosso respeito e interesse.


7- Ouça e Obedeça. Ponha a Palavra em Prática

Após ouvir a Palavra de Deus, você deve ...

I- Aceitar o que a palavra de Deus diz (Mc 4.20; At 2.41; 1Ts 2.13). Guardá-la no coração (Sl 119.11; Cl 3:16).

II- Obedecer ao que ela ordena (Sl 119.17,67; Tg 1.22-24); Viver de acordo com seus ditames (Sl 119.9).

III- Crer, confiar e colocar a esperança em suas promessas (Sl 119.42.74,81,114; 130.5). Fazer dela a sua alegria e prazer (Sl 119.16,47).


Pense nisso!

Os Desacreditados

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on August 21, 2016 at 6:30 PM Comments comments (0)


OS DESACREDITADOS - Crentes Desacreditados.

 

Mas o próprio Jesus não confiava a eles, porque os conhecia a todos. João 2:24


Era algo surpreendente aos olhos humanos, ver uma grande multidão seguindo a Jesus. Parecia uma recepção sincera ao Rei dos reis.

O apóstolo João registra a motivação do coração dos galileus que foram ao encontro de Jesus: vistas todas as coisas que fizera em Jerusalém (Jo 4.43). Contudo, a multidão tinha uma fé desacreditada por Cristo. (Jo 2.23-25).

 

Aparentemente a multidão que seguia Jesus Cristo expressava uma devoção religiosa formidável, mas havia uma motivação errada para ir ao encontro de Jesus. As pessoas tinham uma crença que não agradava a Deus, porque buscavam Jesus não como o Cristo, o Salvador. Elas não estavam sedentas de salvação, mas desejosas de bênçãos e de todo tipo de suprimento pessoal nesta terra. Este tipo de devoção não sustenta ninguém na hora da dificuldade, do sofrimento ou da perseguição, além de fazer o crente ser totalmente desacreditado por Deus e pela sociedade. 


Introdução (2)

No século passado alguns missionários que trabalhavam na Índia pensaram em uma estratégia que poderia trazer um verdadeiro avivamento para o País. Eles disseram: “Se nós conseguirmos evangelizar o líder do hinduísmo Mahatma Gandhi e o ganharmos para Cristo, toda nação indiana será impactada por esse testemunho”. Convictos da sua estratégia foram ao encontro de Gandhi para persuadi-lo a ser cristão, entretanto no meio da conversar ouviram de Gandhi: “No vosso Cristo eu creio eu só não creio é no vosso Cristianismo sem vida”.

 

O que aqueles missionários ouviram de Gandhi é o que constantemente ouvimos sobre o cristianismo atual. Muitos ainda acreditam em Cristo, mas são descrentes em relação aos crentes. Acreditam em Deus, todavia não acreditam na Igreja constituída de “seguidores” de Jesus Cristo.

 

Segundo as estatísticas do IBGE, em 1950, “os sem religião” eram aproximadamente 0,5% da população. Hoje eles já são a terceira maior “identidade religiosa” do País, estando atrás apenas dos católicos e dos evangélicos.

Eles não são adeptos da “não religião”, por serem ateus, mas são aqueles que já frequentaram uma Igreja e se decepcionaram. 

Decepcionados com a Igreja, descrentes dos crentes e convictos que as demais religiões não os levariam a Deus, optaram em ser “sem religião”. 

Por que os “sem religião” crescem tanto? Por qual razão a sociedade brasileira está descrente dos crentes? Podemos resgatar a credibilidade da Igreja? O que devemos fazer?


I - POR QUE A IGREJA TEM PERDIDO A CREDIBILIDADE NO MUNDO?

 

O Rev. Elben M. Lenz César falando sobre a crise da igreja contemporânea diz:

“Não temos defesa: estamos desacreditados diante do governo (também desacreditado), diante dos críticos, diante dos antigos simpatizantes, diante dos opositores, diante da mídia (caçadora de escândalo) e diante do povo.” 

Não são poucas a razões pelas quais a igreja tem perdido a credibilidade diante da sociedade. Entendemos que há razões externas e internas. Citaremos algumas.

  

1.1. Razão externa – O Espírito da Besta: O pluralismo e a relatividade da verdade.

 

Com certeza há razões escatológicas que apontam para o afastamento daquele que hoje resiste e impede a manifestação do anticristo.

As últimas décadas têm sido caracterizadas por movimentos filosófico-teológicos, vindos do inferno,  que romperam com tudo o que, historicamente, tem sido crido como verdade fundamental: relativismo, pós-modernismo e pluralismo, defendem uma ideologia anti-Deus, preparando o mundo para receber a Besta.

 

Estes movimentos condenam qualquer ideia de verdade absoluta e são fortes opositores da igreja. Para os pluralistas a multiplicidade de conceitos sobre o exercício da fé, das crenças (Deísmo, Teísmo, ateísmo, politeísmo, etc.), compreende a essência do pensamento humano e seu direito em crer ou deixar de crer no que quiser, sem ser discriminado por isso. A crença do individuo é sua verdade. Para eles pode-se até dialogar, desde que aja “tolerância”, o que para eles é quase um sinônimo de concordância.

 

Tolerância, no contexto da nova ordem mundial, significa aceitar, valorizar e defender a diversidade cultural, social, sexual, comportamental, ideológica e religiosa, desde que não venha do cristianismo ou do judaísmo.

Essa relativização da verdade tem exercido grande influência na visão da sociedade com respeito à igreja. A conclusão que muitos tem chegado é: a verdade não é absoluta, logo, a igreja não pode ser detentora de uma crença absoluta e, portanto, não é digna de todo o crédito.


1.2. Razões Internas 

Hoje o crente não tem credibilidade como antigamente. Se você estiver conversando com alguém e no meio da conversa disser que é um pastor, pode até ser que uma porta seja fechada para você.

 

A Igreja como instituição, tem perdido a credibilidade e a sociedade está descrente dos crentes. Tudo isso acontece por razões internas do próprio cristianismo atual. Aqui apresentaremos algumas razões do porque a sociedade está descrente dos crentes. 

 

1.2.1. Escândalos envolvendo lideres. 

Não precisa sem bem informado para tomar conhecimento dos escândalos que envolvem lideres que se dizem evangélicos. As várias e repetidas decepções com líderes tem levado sociedade à resignação. Uma pesquisa organizada pelo instituto LifeWay Research, nos Estados Unidos, feita no final de 2006, mostrou as principais causas que levam uma pessoa a mudar de igreja, dentre as razões 74% estava envolvia o testemunho da igreja, liderança e principalmente do Pastor.

 

Esta é uma realidade em todo o planeta. A igreja evangélica brasileira tem sido, via de regra, marcada por uma mentalidade consumista, hedonista e materialista, como o restante da sociedade. A visão mercantilista de igreja tem feito da igreja evangélica no Brasil objeto de escárnio e deboche.

 

A mídia expõe com frequência os escândalos morais de líderes evangélicos brasileiros.

O sal tem se tornado insípido e não tem servido senão para ser pisado pelos homens. Esse comportamento escandaloso ridiculariza a Cristo, prejudica o evangelismo e destrói a credibilidade do cristianismo em nosso país.


  

1.2.2. O Mercado da Fé.

 

Estamos vivendo tempos difíceis, nos quais muitos têm buscado socorro no caminho mais fácil, onde possa encontrar respostas e soluções imediatas para atender as suas necessidades temporais. Com isso surge um novo grupo de interesseiros, carnais, amantes de si mesmo e do mundo, sem compromisso com Deus, que se tornam “clientes” de igrejas e não crentes em Jesus Cristo. São consumistas, interesseiros que buscam o que a igreja pode oferecer a eles.

Diante de tantos clientes, muitas denominações mudaram a igreja em um negócio; pastores se transformaram em executivos e vendedores, o ministério um gerenciamento. Essas organizações religiosas (?) têm sido guiadas mais pelas leis do mercado (como a produtividade, desempenho, faturamento, profissionalismo, qualidade, nichos de consumidores e estratégias de marketing) do que pela Bíblia Sagrada.

Apresentam um Jesus Cristo atraente, prometem a prosperidade na terra e a vida eterna no céu, sem precisar renunciar a nada. Palavras como confissão, pecado, arrependimento, negar-se a si mesmo, foram substituídas por decretar, determinar, conquistar, restituir, etc.

 

Movidas pela teologia da “prosperidade” muitas Igrejas estão mercadejando a fé. Pregam sobre dinheiro e por dinheiro, prometendo o que Deus não prometeu, levando muitos, à decepção religiosa e por fim a descrença. Essa e outra razão da descrença da sociedade em relação aos crentes. 

 

1.2.3. A geração “Gospel” – Simpatizantes e Não Seguidores.

 

Esta é a geração gospel, composta de convencidos e não de convertidos. 

Vivemos na Era do vazio espiritual na igreja. A manipulação está substituindo o conhecimento de Deus em nossas igrejas. A geração gospel tem alguns chavões religiosos na boca, mas não tem Cristo na vida. No meio gospel os membros das igrejas são recebidos, mas não são instruídos; são animados, mas não são ensinados. As pessoas adoram a um Deus que elas não conhecem. A verdadeira adoração requer o conhecimento, daí o nome de culto racional (Rm 12:1). O culto emocional, sem o entendimento, é uma forma errada de adoração.

 

A igreja gospel não ensina sobre Deus e suas reuniões se resumem a um ajuntamento de pessoas, como um clube social, onde a ênfase não é o conhecimento de Deus.

 

É imprescindível que conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor. (Os 6.3). 

Lamentavelmente há uma multidão, dita evangélica, que nunca passou do “Átrio Gospel Emocional”. 

Templos enormes superlotados de pessoas vazias de Deus.

Essa falta de conteúdo de Cristo na vida daqueles que são ou se dizem seus seguidores tem tirado a força do testemunho da verdade e a credibilidade da mensagem do evangelho.

 

1.2.4. Vivendo a verdade como se fosse uma mentira.

 

“Eu creria na sua salvação se os cristãos se parecessem um pouco mais com pessoas que foram salvas”.

 

A afirmação acima foi dita por Fiedrich Nietzche, no final do século XVIII e nunca foi tão atual como nos dias de hoje. O cristianismo está cheio de pessoas que vivem a verdade como se fosse uma mentira.

Pessoas que vivem o que não pregam e pregam o que não vivem.

 

‘Os evangélicos estão aderindo a estilos de vida hedonistas, materialistas, egoístas e sexualmente imorais com a mesma proporção que o mundo’ (...) Se já não somos o sal da terra, a luz do mundo e o bom perfume de Cristo, não servimos para mais nada, exceto para sermos jogados fora e pisados pelos homens, de acordo com Jesus”.


1.2.5. Crentes Sem Compromisso

“Compromisso” é definido como o estado ou qualidade de ser dedicado a uma causa, atividade, ou pessoa.

Ser membro de uma igreja ou participar de alguma organização religiosa que professa e prega a Palavra de Deus é algo louvável, mas é preciso mais do que isso para ser acreditado por Deus e pelos homens.

 

É preciso viver a verdade, assumir compromisso com a verdade.

 

O professor Hugh Black, no seu “Serviço de amor de Cristo”, disse que uma jovem judia, que é agora Cristã, pediu a certo senhor que lhe havia dado instruções a respeito do Evangelho, que lesse com ela a história. Porque, disse ela: “Tenho lido os Evangelhos e estou perplexa. Quero saber quando os cristãos deixaram de ser tão diferentes de Cristo”. Essa é a realidade atual, um cristianismo que tem o rotulo de Cristo, mas nenhum conteúdo dEle.


1.2.6. Fé Sem Boas Obras.

 

Há muitas igrejas que até zelam pela doutrina, todavia essa fé não é evidenciada na sociedade. A igreja vive uma fé que não se desdobra em boas obras, não busca a transformação da sociedade e não se preocupa com os problemas do próximo.

 

Muitas igrejas são irrelevantes em sua atuação no mundo. Dizem pregar o amor, mas não vivem o amor ao próximo como ensinado por Jesus Cristo.

A igreja precisa ter uma prática de vida que possa afetar a sociedade e o indivíduo.

 

Os cristãos foram postos no mundo para ser a consciência da sociedade, e não para se fecharem em um grupo religioso. A Igreja deve ser a voz do que clama no deserto, o sal da terra e a luz do mundo, a fim de fazer a diferença na sociedade.

Esta falta de prática das verdades as quais os cristãos dizem crer é uma das razões pelas quais a sociedade estar descrentes dos crentes.


CONCLUSÃO:

Se a sociedade ímpia está desacreditando dos crentes, imagine o descrédito da “multidão gospel” diante de Deus.

Neste tempo em que a igreja está desacreditada por muitos somos desafiados a viver como verdadeiros seguidores de Jesus Cristo. Embora estejamos sujeitos a falhas e erros, devemos nos esforçar para ser a diferença no meio de um mundo corrompido pelo engano do pecado.

 

Comecemos com uma REFORMA pessoal. Faça o despojamento daquilo que pertence ao velho homem. Renove a sua mentalidade na Palavra de Deus e revista-se do modelo do novo homem criado por Deus. (Ef 4:22-24)

 

Para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus imaculados no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual resplandeceis como luminares no mundo. Fl 2:15 


Ficando na Brecha

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on August 7, 2016 at 7:05 PM Comments comments (0)



Deus Procura um homem Para Ficar na Brecha...

 

E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei. (Ezequiel 22:30)

 

Introdução

Nos dias de Ezequiel os muros ao redor de Jerusalém faziam parte do sistema de defesa e proteção da cidade contra ataques inimigos.

 

1. Muro – proteção da cidade, defesa da cidade;

2. Brecha – abertura, passagem, fraqueza, porta de acesso do inimigo;

3. Um homem, um intercessor – um homem apenas;

 

O Muro

O muro é a linha de demarcação entre a santidade e o pecado. O muro com buracos precisa ser reparado. Deus nos quer reparando este muro.

Se o muro cair não saberemos o que é santo e profano. A falta de linha demarcatória nos impede de entender o que é profano do que é sagrado, o certo do errado.

Deus nos quer na brecha do muro para interceder pelo povo.

 

Brechas na Muralha

Rachaduras, rupturas e buracos na muralha revelavam uma defesa comprometida, frágil. A proteção da cidade estava com aberturas que conferiam legalidade para o inimigo entrar e subjugar a todos os moradores; as brechas precisavam ser fechadas sob pena de ataques que levariam o povo a escravidão, doenças, miséria, sofrimento e morte.

 

 

Ninguém Encontrou – Por que Deus não encontrou? (Ageu 1:9)

Naqueles dias cada um estava cuidando do seu próprio negócio, de sua própria vida. Sacerdotes, profetas, autoridades, anciãos, povo em geral (ninguém).


  

I-A PROCURA DE UM HOMEM

Deus Procura um homem... Mas, não um homem qualquer, mas alguém que pudesse ficar na brecha, como escudo humano.

 

Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora, e informai-vos, e buscai pelas suas praças a ver se podeis achar um homem, se há alguém que pratique a justiça, que busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela. Jeremias 5:1

  

I - A ideia popular de um grande homem em nossa sociedade:

1. Aparência: beleza, força, vigor;

2. Patrimônio: dinheiro, bens, negócios;

3. Intelectualidade: criação, administração, persuasão;

4. Poder: influência, liderança, redes fraternais;

 


II- As Nossas Avaliações São Diferentes e Contrárias aos Critérios de Deus

 

Mas o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque eu o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem olha para o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração. I Sm 16:7

 

Grandeza - O Maior seja como servo - Mt 23:11

 

Riquezas – Mt 6: 20 mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

 Não Por esperança na Incerteza das riquezas - I Tm 6:17 -

 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração. Mt 6:21

 

Conhecimento - Se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber (I Co 8:2) .

Os 6: 3 Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor.

 

Poder - Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Ef 6:10

 

Maria, rainha dos escoceses. Ela temia John Knox e dizia que tinha mais medo das suas orações e da sua pregação do que de muitos regimentos de soldados ingleses.”

 

Resumo:

Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em entender, e em me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço benevolência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor. Jeremias 9:23-24


  

II-A PROCURA DE UM HOMEM PARA FICAR NA BRECHA

Deus está à procura de uma pessoa digna de ser a “defesa da cidade”. Alguém que possa ficar de pé diante do SENHOR, identificando-se com o pecado do povo da cidade, chamando por perdão e misericórdia.

Ficar na brecha é orar em favor do povo; procurar a orientação de Deus a favor do povo; orar por arrependimento do povo.

É com pessoas que se dispõem a ficar na brecha que Deus faz sua obra no mundo.

A mensagem de Ezequiel (22:30) foi para os líderes e para o povo em geral. Deus está chamando servos interessados em consertar os muros derrubados da cidade e da igreja e em se colocar na brecha.


 

III – QUE TIPO DE HOMEM DEUS PROCURA?

 

O texto diz que Deus estava procurando alguém que tapasse o muro. Alguém precisava entrar na brecha. Isto significa, pessoas que possam não somente perceber os problemas, mas esforçar-se para solucioná-los a nível espiritual, intercedendo, clamando.

O SENHOR quer pessoas que se disponham a ficar em pé. (Is 62.6-7). Estar em pé sugere o oposto de descanso. Há muita gente que quer ficar sentada diante de Deus.

Pessoas que estejam dispostas a clamar pelo seu povo, sua igreja, sua cidade.

 

E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei. (Ezequiel 22:30)

 

3.1 – Não Apenas Um Intercessor

 

Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora, e informai-vos, e buscai pelas suas praças a ver se podeis achar um homem, se há alguém que pratique a justiça, que busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela. Jeremias 5:1

 

Oração não é sinônimo de “palavras”. Temos orado muito como palavras, mas orado pouco como “convívio com Deus”. Quando Paulo nos pede para orar sem cessar (1Tesalonicenses 5.17), não pode estar pedindo oração-palavra, mas oração-vida, ou seja, não podemos falar sem cessar, mas podemos viver em Deus sem cessar.

3.2. Que Busque a Verdade/Deus - O que busca Deus, a Verdade.

 

3.3. Que Pratique a Justiça – O que vive a Verdade encontrada.


 

IV – RESUMINDO

 

1. A visão da Brecha é Fundamental.

Para ver as brechas, precisamos agir como atalaias. Nem sempre o perigo tem cara de mal. Olhe em redor.


2. A Prontidão de Ficar na Brecha é Louvável.

Não basta ter a visão dos problemas e das necessidades. Nosso empenho deve ser feito com oração. E oração sem ação é preguiça. E ação sem oração é pretensão. É preciso ter coragem para ficar na brecha.

Somos sacerdotes de nós mesmos e sacerdotes daqueles que ainda não entenderam que Jesus Cristo é o único mediador entre os homens e Deus.

Não é fácil ficar na brecha. Não faltarão os críticos... excelentes críticos, mas incapazes de ficar na brecha.


3. A Disposição de Reparar as Próprias Brechas é o que torna o homem habilitado diante de Deus.

Para que nos coloquemos na brecha pelos outros, precisamos nos reparar a nós mesmos.

Precisamos nos dispor a viver segundo o propósito de Deus e isso só acontecerá quando seguirmos o programa que Deus falou a Salomão há muito tempo atrás: (2 Cr 7.14).


 

Conclusão

Quando Deus quer libertar um povo chama um homem.


Quando Deus quis:

preservar a raça humana chamou NOÉ - Gen. 6:5-9;

preservar a vida do seu povo chamou JOSÉ - Gen. 45:4-8;

libertar o seu povo do Egito chamou MOISÉS - Êxodo 3:10-12;

libertar Israel dos Midianitas chamou GIDEÃO - Juízes 6:14;

libertar o seu povo dos filisteus chamou SANSÃO - Juizes 13:5;

livrar os judeus da morte chamou ESTER - Ester 4:13-14;

libertar Nínive dos seus pecados chamou JONAS - Jonas 1:1-2;

Salvar o homem mandou JESUS - Mateus 1:21.

 


Deus está a procura de um homem para libertar o seu povo das trevas espirituais, da ignorância do Evangelho nesta cidade. Será que esse homem é você?


 

 


GRATIDAO

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on July 31, 2016 at 6:10 PM Comments comments (0)


Texto Base: Lucas 17:11-19


Introdução

O texto acima fala de dez homens leprosos; dez homens milagrosamente curados; apenas um homem agradecido.

 

Os dez leprosos partiram ainda doentes, mas eles creram de alguma forma na Palavra de Jesus e, ainda no caminho, foram curados milagrosamente. Nove homens curados continuaram em direção à Jerusalém, mas apenas um ex-leproso julgou importante voltar e demonstrar a sua imensa gratidão ao seu redentor.

 

 

Nove, dentre os dez leprosos curados, reassumiram a sua religiosidade e deram maior preferência o cumprimento da lei, do que a gratidão a Jesus.

 

A lei de Moisés previa que um leproso ao ser curado, deveria se apresentar ao sacerdote.

"Esta será a lei do leproso no dia da sua purificação: será levado ao sacerdote”. Levítico 14:2; Hb 7:26


A gratidão foi o sentimento que moveu aquele samaritano a voltar e adorar a Jesus pelo benefício recebido. O samaritano também sabia que tinha que cumprir a Lei de Moisés, mas entendeu que antes necessitava honrar aquele que tinha demonstrado tão grande compaixão por sua vida. E ele voltou e se prostrou com o rosto em terra; e adorou Jesus; foi perdoado e salvo! Que milagre, completo!


 

1- Gratidão x Ingratidão

O ser humano nunca está satisfeito com o que tem. Exemplificando: se tem uma casa, quer uma maior; no dia em que tiver uma mansão em sua cidade, desejará uma na praia ou em outra cidade ou país. Se por um lado essa “insatisfação” impulsiona o indivíduo para frente, também causa angústia, inveja, ganância, egoísmo e infelicidade.

Estamos sempre inconformados, enfatizando aquilo que falta. O ser humano tem a tendência de focalizar apenas as coisas negativas. Assim, tornamo-nos pessoas que só reclamam, murmuram e lamentam. Aliás, a murmuração foi um dos pecados cometidos pelo povo de Israel no deserto que mais ofenderam a Deus. O Senhor enviava o maná todos os dias, mas o povo não agradecia. Pelo contrário, reclamava de tudo, até das bênçãos que Deus dava.

1 Co 10: 10 - E não murmureis, como alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor.


 

2- Gratidão ao SENHOR.

Na narrativa de Lucas 17, aprendemos que dez leprosos foram curados, mas somente um foi salvo, o samaritano. E isso aconteceu devido a sua gratidão a Deus.

A Bíblia ensina-nos a sermos gratos a Deus, por tudo e sempre.

Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Efésios 5. 20

“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”. 1 Tessalonicenses 5:18

Confiar plenamente, totalmente no SENHOR. Reconhecer que “Todas as coisas”, de acordo com o desígnio divino, visam “cooperar juntamente” para nosso bem-estar espiritual. Algumas vezes a fé transcende à razão, para que se possa confiar nessa declaração bíblica, sobretudo quando a tragédia nos atinge.


3- Gratidão no Louvor

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. - Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. Salmo 103:1-1

No grego temos a palavra “eucharistos”, “grato”, “cheio de gratidão”. Essa gratidão se dirige a Deus, no reconhecimento daquilo que Ele tem feito por nós, por intermédio de Cristo, sendo produzidas em nós a unificação e a confiança nEle, o que nos deu a razão de nossa existência e a esperança sobre a eternidade.

Este salmo expressa ação de graças e louvor ao Senhor pelos privilégios e bênçãos que Ele outorga ao seu povo. Nunca devemos nos esquecer da bondade de Deus para conosco (Dt. 8.12-14; II Cr. 32.25), nem deixar de lhe ser gratos por suas bênçãos derramadas sobre os seus mediante o Espírito Santo ( At. 2.38, 39; 9.17,18; Jo.14.16).

Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. Colossenses 3. 16


4- Gratidão na Oração

Dediquem-se à oração, estejam alerta e sejam agradecidos. Colossenses 4:2 (nvi)

“Toda oração deveria ser misturada com gratidão, pois sem esse perfume, o incenso da devoção não tem um dos elementos fragrantes... a oração mais completa eleva-se confiante desde um coração grato, que tece a memória em esperança e que solicita muito, porquanto muito tem recebido...


5- Gratidão Pela Vida em Cristo

Portanto, assim como vocês receberam Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nEle, - enraizados e edificados nEle, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão. Colossenses 2: 6-7 (nvi)

O coração agradecido tem menos tendência de desviar-se; e os crentes felizes e gratos a Cristo não se deixam atrair por doutrinas estranhas. O agradecimento é salientado como a própria “atmosfera” em que os crentes devem viver e desenvolver-se espiritualmente.


 

6- Os Três Níveis de Gratidão

A questão sobre a gratidão da Suma Teológica de Tomás de Aquino, frade italiano da Ordem dos Pregadores (dominicano), cujas obras tiveram enorme influência na teologia e na filosofia.

Tomás de Aquino na “Suma Teológica” ensina que a gratidão é uma realidade humana complexa e que ela se compõe de três níveis: o superficial, o intermediário e o profundo.

1. O nível superficial é o nível do reconhecimento, do reconhecimento intelectual, do nível cerebral, do nível cognitivo do reconhecimento do benefício recebido.

2. O segundo nível é o nível do agradecimento, de dar graças a alguém por aquilo que esse alguém fez por nós. Louvar e dar graças pelo benefício recebido;

3. E o terceiro é o nível do vínculo e do comprometimento, do sentirmos vinculados e comprometidos, de retribuirmos de acordo com as nossas possibilidades o benefício recebido.


 

Alguns idiomas expressam a gratidão no primeiro nível:

Primeiro Nível - As línguas anglo-saxônicas e germânicas estão no primeiro nível da gratidão, o nível do RECONHECIMENTO. Quando digo Thank you no Inglês, muito semelhante a "think", significa que vou pensar no que fez, vou lembrar do favor recebido.

1) Thank you (think) = valeu, vou lembrar do favor.

2) Zu danken (zu denken) = valeu, vou lembrar do favor.

 

Segundo Nível - Na maior parte das outras línguas europeias, quando se agradece, agradece-se no nível intermediário da gratidão. Quando se diz “merci” em francês, quer dizer dar uma mercê, dar uma graça. Eu dou-lhe uma mercê, estou-lhe grato, dou-lhe um louvor por aquilo que me trouxe, por aquilo que me deu.

 

Nas línguas neolatinas, como o Espanhol ou o Italiano, temos "gracias' e "grazie"; ou seja, vou lembrar do que fez e vou louvá-lo; o mesmo se dá no árabe com "Salam"; quer dizer, não vou ser um mal agradecido;

 

Terceiro Nível – A formulação portuguesa “obrigado”, tão encantadora e singular, é a única a situar-se, claramente, naquele mais profundo nível de gratidão de que fala Tomás de Aquino: o do vínculo (ob-ligatus), da obrigação, do dever de retribuir.

No nível mais profundo da gratidão você vai lembrar do favor, vai louvar seu beneficiário e, ainda, fica OBRIGADO a retribuir o favor recebido. E obrigado quer dizer ficar vinculado perante aquele que lhe trouxe um benefício. O vínculo do “ob-ligatus”, o de "dever de retribuir".

 

Davi, o salmista, já conhecia esse nível da gratidão quando disse:

 

"Como poderei retribuir ao Senhor por tudo o que Ele me tem dado?" ( Sl 116:12). Nessas situações de dívida impagável o homem agradecido sente-se embaraçado e faz tudo o que está a seu alcance, tendendo a transbordar-se num excesso que se sabe sempre será insuficiente.


 

 

Conclusão:

Reconheça os grandes benefícios de Deus. Louve a Deus pelo o que Ele é e pelos seus poderosos feitos. Seja profundamente grato a Deus disponibilizando o seu viver para a glória Dele.

Seja também grato a todos que lhe trouxeram benefícios: pais, professores, amigos, pastores, patrões, empregados, autoridades, etc.

 

Concluo esta breve mensagem agradecendo a Deus a oportunidade de pregar o Evangelho; agradeço também a atenção dispensada e a boa vontade de todos. Fico obrigado a poder contribuir, na medida das minhas possibilidades, para os seus estudos, reflexões, projetos e ministérios.

 

 

 


Obediência Por Fé

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on July 26, 2016 at 8:10 AM Comments comments (1)


A Cura de Naamã - 2 Reis 5

 

Introdução –

Naamã fez uma longa viagem da Síria a Israel com a esperança de ser curado de sua lepra. Todavia, ele esperava ser curado de um jeito bem diferente da orientação recebida do profeta Eliseu. Naamã ficou decepcionado e revoltado com a proposta “humilhante” de cura que lhe fora apresentada. Porém, confrontado com o bom senso por um de seus oficiais, finalmente o comandante do exército da Síria obedeceu à palavra do homem de Deus e o seu ato de obediência trouxe-lhe: cura para o seu corpo e fé ao seu coração.

O que aprendemos com esse testemunho?


I - Fé e obediência são tão inseparáveis que os crentes deveriam ser antes chamados de FIÉIS, “obedientes”.

"...por intermédio de quem viemos a receber graça e apostolado por amor do seu nome, para a obediência por fé, entre todos os gentios"(Rm 1:5).

"... e que, agora, se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações" (Rm 16:26).

Veja a disposição de Paulo em obedecer a Deus logo no início de sua nova vida. Depois que Paulo foi iluminado, perguntou: “Que farei, Senhor?” (At 22:10). Não só ele creu, mas também se submeteu ao Senhor em obediência.

1.1 - A Obediência É Fruto da Fé. A Fé leva à Obediência.

E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2 Co 5:15

 

A obediência disciplina o ego à humildade e submissão.

1.2 - A Desobediência é Fruto da Incredulidade

Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. (Efésios 2:3; Cl 3:6)


 

II - Escutar a Deus é o primeiro passo para obedecer

A Bíblia diz em Dt 5:1 “Chamou, pois, Moisés a todo o Israel, e disse-lhes: Ouve, ó Israel, os estatutos e preceitos que hoje vos falo aos ouvidos, para que os aprendais e cuideis em os cumprir”.

 

2.1- Dar ouvidos - Para ouvir Deus “falar” precisamos silenciar nosso coração.

Ap 2: 29 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito dia às igrejas.

Rm 10: 17 - Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.

 

Temos que aprender a calar nossa opinião, nossos pensamentos e propósitos. Muitas vezes não ouvimos Deus porque estamos ouvindo outras vozes.

 

2.2 - Uma palavra específica de Deus exige mais obediência do que uma palavra universal.

Quando Deus fala para uma pessoa específica, o peso da responsabilidade pessoal é muito maior. (Naamã - 2 Reis 5).

 

2.3 - Um Questionamento – Nem tudo o que é apresentado como “Fé” é fé. Muitas palavras repassadas geram crenças religiosas, superstições, misticismo, falsas convicções, assentimento mental, etc. (veja Lc 18:8).


 

III - O Que Significa Obedecer?

3.1 - Significa fazer a vontade de Deus.

Mateus 7:21 - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

1 Pedro 4: 2 para que, no tempo que ainda vos resta na carne não continueis a viver para as concupiscências dos homens, mas para a vontade de Deus.

2 Co 5: 15 e ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.

3.2 - Significa Praticar a Palavra de Deus

Tg 1: 22 E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

Fl 4: 9 O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus de paz será convosco.


 

IV - A Obediência é Superior à Devoção Religiosa

“Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à Sua Palavra? Eis que o obedecer é melhor do que sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros” (1Sm 15:22).

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus (Mt 7:21).

Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra. (Tito 1:16; Tg 2:26).


 

V - A Obediência revela o servo e o seu Senhor

Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? (Romanos 6:16)

VI – A Obediência por Fé deve ser consequência de nosso amor a Deus.

João 14:15, 23 - “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. … Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada”.


 

VII - Obediência às Autoridades Constituídas por Deus

A Bíblia ensina sobre a necessidade do crente obedecer à autoridade direta de Deus e às autoridades que ELE estabeleceu – no lar, na escola, no trabalho, na sociedade e na igreja.

1- A mulher deve obedecer ao marido – 1 Pe 3:1-2

2- Os filhos devem obedecer aos pais – Ef 6:1-3

3- Os servos devem obedecer aos seus senhores – Ef 6:5-8

4- Os cidadãos devem obedecer às autoridades – Rm 13:1

5- Os crentes devem obedecer aos pastores – Hb 13:7

 

Não é necessário destacar especificamente a que pessoa será preciso obedecer. Simplesmente significa que diante da autoridade constituída por Deus, devemos obedecer.


VIII – Promessas Diante da Obediência

6.1 - A obediência traz recompensa nesta terra.

Josué 1:8 - “Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido”.

E o SENHOR te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. (Dt 28:13)

 

Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o melhor desta terra. (Is 1 : 19)

 

6.2 - A obediência traz recompensa no porvir.

E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. (I João 2 : 17)


 

Conclusão

Que Jesus seja não apenas o seu Salvador pessoal, mas o SENHOR de sua vida. Que seja um prazer amá-Lo e Serví-Lo de todo o coração, alma e força.

 


O Fim dos Tempos

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on July 3, 2016 at 12:40 PM Comments comments (0)


Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos difíceis. 2Tm 3:1


Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. Mt 24:21-22

Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo; e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. Dn 12:1

Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino; e haverá fomes e terremotos em vários lugares. Mt 24:7

E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mt 24:12

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Mateus 24:9

Nesse tempo muitos hão de se escandalizar, e trair-se uns aos outros, e mutuamente se odiarão. Mt 24:10

“... hão de surgir muitos falsos profetas, e enganarão a muitos”. Mt 24:11

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição". 2 Ts 2:1-3

“... Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta”. Ap 13:3

E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do oriente. E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Porque são espíritos de demônios, que fazem prodígios; os quais vão ao encontro dos reis da terra e de todo o mundo, para os congregar para a batalha, naquele grande dia do Deus Todo-Poderoso. Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas. E os congregaram no lugar que em hebreu se chama Armagedom. Apocalipse 16:12-16

“..."Haverá um tempo, tempos e meio tempo. Quando o poder do povo santo for finalmente quebrado, todas essas coisas se cumprirão". Dn 12:7

Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a quem elas espalharam entre as nações e repartiram a minha terra. Joel 3:1-2

Eis que vem o dia do SENHOR, em que teus despojos se repartirão no meio de ti. Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, e as casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o restante do povo não será extirpado da cidade. Zacarias 14:1-2

Naquele dia o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles naquele dia será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o anjo do SENHOR diante deles. E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém. Zacarias 12:8-9

O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. Joel 2:31

"Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão na noite...Más vós irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão". I Ts 5:2-4

Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. Mateus 24:29

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus. I Ts 4:16

Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. II Pedro 3 : 10

 

E vi o céu aberto... (Ap 19:11).

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. Mateus 24:29

Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Ap 1:7

E ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus. Mt 24:31

“... porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque é necessário que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade e que isto que é mortal se revista da imortalidade”. I Co 15:52-53

Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos; mas todos seremos transformados. Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados". 1 Co 15:51-52

E os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro, depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. I Ts 4:16-18

E o SENHOR sairá, e pelejará contra estas nações, como pelejou, sim, no dia da batalha. E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio... (Zc 14:4)

"E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, com labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo" . 2 Ts 1:7-8

E há de ser que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o Senhor, e entre os sobreviventes, aqueles que o Senhor chamar". Joel 2:32

E quando o Filho do homem vier na sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas diante dele; e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas. Mt 25:31-32

Também Isaías exclama acerca de Israel: Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo. Rm 9:27

E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome. Zc 14:9

E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões, e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear". Isaias 2:3-4

"Assim diz o Senhor DEUS: No dia em que eu vos purificar de todas as vossas iniquidades, então farei com que sejam habitadas as cidades e sejam edificados os lugares devastados. E a terra assolada será lavrada, em lugar de estar assolada aos olhos de todos os que passavam. E dirão: Esta terra assolada ficou como jardim do Éden: e as cidades solitárias, e assoladas, e destruídas, estão fortalecidas e habitadas. Então saberão os gentios, que tiverem ficado ao redor de vós, que eu, o SENHOR, tenho reedificado as cidades destruídas, e plantado o que estava devastado. Eu, o SENHOR, o disse e o farei". Ez 36:33-36

"E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o SENHOR dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos. Zc 14:15

Se perseverarmos, com ele também reinaremos... (II Tm 2:12).

E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imarcescível coroa da glória. I Pe 5:4.

...e para o nosso Deus os fizeste reino, e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. Ap 5:10

Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. II Tm 4:8

Então vi uns tronos; e aos que se assentaram sobre eles foi dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na fronte nem nas mãos; e reviveram, e reinaram com Cristo durante mil anos. Ap 20:4

Porque é necessário que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo. 2 Co 5:10

“... o tempo de dares recompensa aos teus servos, os profetas, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes...” (Ap 11:18).

Aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia. Jd 1:6

Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? (I Co 6:2).

... e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos. Ap 20:10

Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia. Jo 12:48

E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiram a terra e o céu; e não foi achado lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono; e abriram-se uns livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. O mar entregou os mortos que nele havia; e a morte e o além entregaram os mortos que neles havia; e foram julgados, cada um segundo as suas obras. E a morte e o hades foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. E todo aquele que não foi achado inscrito no livro da vida, foi lançado no lago de fogo. Ap 20:11-15

Os quais sofrerão, como castigo, a perdição eterna, banidos da face do senhor e da glória do seu poder. II Ts 1:9.

"...Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, quando houver destruído todo o império, e toda a potestade e força. Pois convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte". I Coríntios 15:24-26

Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. Ap 21:4

E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já se foram o primeiro céu e a primeira terra, e o mar já não existe. E vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que descia do céu da parte de Deus, adereçada como uma noiva ataviada para o seu noivo. E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Eis que o tabernáculo de Deus está com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e Deus mesmo estará com eles. Ap 21:1-3

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito dia às igrejas. Ap 2:29

 

“ ...os ímpios procederão impiamente; e nenhum deles entenderá; mas os sábios entenderão” . Dn 12:10

 


Boas Obras

Posted by DENIS FROTA (BenneDen) on June 12, 2016 at 6:10 PM Comments comments (0)


AS BOAS OBRAS

Texto de Referência: Lucas 10:30-37


Introdução

As Escrituras têm muito a dizer sobre as boas obras. Fomos criados em Cristo Jesus para as boas obras.


“Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas”. (Efésios 2:10).


E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra; II Co 9:8

Para que possais andar de maneira digna do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus, (Cl 1:10).


As boas obras não produzem a salvação, mas a manifestam. Não são a causa, mas o efeito de uma nova vida em Cristo.

Tiago diz que a fé sem obras é morta. Ele nunca afirma que as obras podem salvar; mas sim que a fé genuína e viva sempre redundará em boas obras.

1. Obras não produzem fé; mas a fé produz obras, e as obras confirmam a fé.

2. O contraste é entre a fé sem obras e obras sem fé, e não entre fé e obras.

3. A questão crucial não é uma opção entre fé e obras; mas sim entre a fé viva (com obras) e a fé morta (sem obras).


As boas obras devem ser o resultado da salvação e não sua causa.

 Somos salvos pela fé, para as boas obras.

 Somos salvos pela fé para servir a Deus e ao próximo.


I- A Natureza das Boas Obras

Jesus Cristo testificou que as boas obras do mundo são más. (João 7:7). Ele também testificou em relação aos fariseus, dizendo que as obras que faziam eram feitas para receberem elogios dos homens. (Mateus 23:5). Lemos também, na Bíblia sobre:

 Obras mortas (Hb 9:14),

 Obras da carne (Gl 5:19)

 Obras do diabo  - 1 Jo 3:8.

Assim, precisamos discriminar ao tratar do assunto sobre as boas obras.

Uma boa obra no sentido bíblico é aquela que agrada a Deus e traz sobre quem a fez a aprovação e bênção de Deus.

Um homem pode realizar um ato que seja considerado louvável na concepção da sociedade, mas Deus pode vê-lo de outra maneira. Os homens podem recompensar algo que Deus vai censurar.


Como podemos saber se o que fazemos é bom aos olhos de Deus?


A. Boas Obras implicam em Fé a Deus

Fazer Algo Porque é Da Vontade de Deus - Acreditar no que Deus manda fazer e obedecer prontamente. (A fé de Abraão - Rm 4:3)

A resposta está em Hebreus 11:6 onde lemos que “sem fé é impossível agradar a Deus”

Uma obra de fé só é possível aos que têm fé. As obras de fé geralmente são opostas à razão humana. A única razão por trás de uma obra de fé é que Deus diz para fazê-la. E isto é tornar-se tolo aos olhos do mundo. Foi só porque Noé creu em Deus, que ele construiu a arca.

Mas, como a fé opera? Pelo o amor.

Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão nem a incircuncisão vale coisa alguma; mas sim a fé que opera pelo amor (Gl 5:6).


B. Boas Obras São Movidas Pelo o Amor a Deus

Jesus Cristo disse: “Se me amais, guardai os meus mandamentos”. (João 14:15).

E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens, sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. Mas quem fizer agravo receberá o agravo que fizer; pois não há acepção de pessoas. Colossenses 3.23-25


C. Boas Obras São Movidas pelo o Amor ao Próximo

O texto de I Coríntios, capítulo 13, enfatiza a necessidade do amor como ingrediente nas boas obras. Hb13:16


D. Boas São Para a Glória de Deus

Outro princípio que devemos avaliar para sabermos se estamos ou não praticando boas obras, são as nossas intenções.

Jesus advertiu severamente aos seus discípulos para que se guardassem de “exercer a justiça diante dos homens, como o fim de serdes vistos por eles” (Mt. 6:1) e também para que não fizéssemos nada pensando em recompensa (Mt. 6:3).

O que nos deve motivar à práticas das boas obras é nosso desejo de obedecer a Deus, que o seu nome seja glorificado (Mt. 5:16) e que seu reino seja estabelecido. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co. 10:31).


II - Os crentes devem manter as boas obras.

Fiel é esta palavra, e quero que a proclames com firmeza para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras. Essas coisas são boas e proveitosas aos homens. Tt 3:8 .

Os ricos deste mundo devem ser ricos em boas obras, prontos a repartir seus bens com os necessitados.

Que pratiquem o bem, que se enriqueçam de boas obras, que sejam liberais e generosos ( 1 Tm 6:18.

Boas Obras são Sacrifícios Que Agradam a Deus

Mas não vos esqueçais de fazer o bem e de repartir com outros, porque com tais sacrifícios Deus se agrada. (Hb 13:16)

1. Quando praticamos boas obras demonstramos q somos povo de Deus

2. Quando praticamos boas obras refletimos a imagem do nosso Deus

3. Quando praticamos boas obras demonstramos obediência a Deus

4. Quando praticamos boas obras demonstramos amor a Deus

5. Quando praticamos boas obras demonstramos amor ao próximo


III- Prestação de Contas: Pecados & Obras

3.1 - Os Pecados do Crente e o Porvir

Os pecados do crente em Jesus Cristo foram levados pelo o Salvador, em Seu próprio corpo, na cruz.

Em relação à salvação, os pecados do crente foram colocados sobre Cristo e julgados nEle (1 Pe 2:24).

Levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados pudessem viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.

Em relação à disciplina, os pecados do crente são tratados nesta vida. (Hebreus 12:5-11).

5 e já vos esquecestes da exortação que vos admoesta como a filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, nem te desanimes quando por ele és repreendido;

6 pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita a todo o que recebe por filho.

7 É para disciplina que sofreis; Deus vos trata como a filhos; pois qual é o filho a quem o pai não corrija?

8 Mas, se estais sem disciplina, da qual todos se têm tornado participantes, sois então bastardos, e não filhos.

9 Além disto, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e os olhávamos com respeito; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, e viveremos?

10 Pois aqueles por pouco tempo nos corrigiam como bem lhes parecia, mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.

11 Na verdade, nenhuma correção parece no momento ser motivo de gozo, porém de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos que por ele têm sido exercitados.


O crente,quando peca, é disciplinado pelo o Senhor nesta Terra para não ser condenado com o mundo.

Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo (1 Co 11:32).

 

3.2 - As Obras do Crente e o Porvir

Os pecados de alguns homens são manifestos antes de entrarem em juízo, enquanto os de outros são descobertos depois. Da mesma forma também as boas obras são manifestas antecipadamente; e as que não o são não podem ficar ocultas. (I Tim 5:24;25)

O crente será recompensado por suas boas obras quando Cristo vier (1 Co 3:13-15).

As obras do crente, no tribunal de Cristo, serão rejeitadas ou recompensadas.

Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal. (2 Co 5:10)


Conclusão

Vejo que o maior problema hoje não é com o crer, mas com o fazer.

É um desafio para todos nós, que enfatizamos tanto a salvação pela fé em Cristo Jesus, e constantemente nos esquecemos que nossas obras serão julgadas.

“Eu sou a videira, vós as varas: quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto..... Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.”João 15:5,8.